Lava Jato: o problema do Estado Democrático de Direito na modernidade periférica

  • Raquel de Lima Mendes
  • Ivan da Costa Alemão Ferreira

Resumo

DOI: 10.24859/fdv.2017.1006


O presente estudo visa analisar os principais traçados, sobretudo a partir da visão de Marcelo Neves, em sua obra “Entre Têmis e Leviatã: uma relação difícil”, que podem ser feitos e considerados negativos para a efetiva realização do Estado Democrático de Direito na modernidade periférica. Isto porque relacionam-se antes de tudo com os limites à autorreferência dos sistemas político e jurídico. Serão analisadas as teorias de Luhmann e Habermas, feitas em países de modernidade central e sua suposta aplicabilidade em países de modernidade periférica. O estudo propõe uma visão além da teoria de Marcelo Neves, pois será abordado o contexto da operação Lava Jato.

Biografia do Autor

Raquel de Lima Mendes

Doutoranda do PPGSD-UFF. Professora na Universidade Veiga de Almeida. Advogada militante

Ivan da Costa Alemão Ferreira

Professor Doutor do PPGSD-UFF. Desembargador do TRT 1a Região.

Publicado
2018-01-23
Como Citar
MENDES, Raquel de Lima; ALEMÃO FERREIRA, Ivan da Costa. Lava Jato: o problema do Estado Democrático de Direito na modernidade periférica. Revista Interdisciplinar de Direito, [S.l.], v. 14, n. 1, p. 81-97, jan. 2018. ISSN 2447-4290. Disponível em: <http://revistas.faa.edu.br/index.php/FDV/article/view/244>. Acesso em: 05 ago. 2020.
Seção
Artigos