FREQUÊNCIA DAS INFECÇÕES HOSPITALARES EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NO HOSPITAL ESCOLA LUIZ GIOSEFFI JANNUZZI

  • Helena Torres Passos
  • Karina Mourão Costa
  • Juliana Brovini Leite
  • Yuri Carvalho Lyra

Resumo

Introdução: Infecções hospitalares são processos infecciosos relacionados à hospitalização de um indivíduo, sendo assim consideradas quando o período de incubação do patógeno causador da infecção for desconhecido e não houver evidência clínica e/ou dado laboratorial de contágio no momento da internação; ou o surgimento de qualquer manifestação clínica de infecção a partir de 72 horas após a admissão, estando o paciente com diagnóstico de infecção comunitária e for isolado um microrganismo diferente, seguido do agravamento das condições clínicas do mesmo. Objetivo: Avaliar a frequência de infecções hospitalares nas unidades de terapia intensiva (UTI) no Hospital Escola Luiz Gioseffi Jannuzzi (HELGJ) correlacionando com variáveis frequência de infecção hospitalar, idade, sexo, perfil microbiológico e evolução pós-infecção. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo do tipo observacional transversal retrospectivo na UTI do HELGJ por meio da análise dos prontuários dos pacientes internados no HELGJ durante o período de janeiro de 2015 a maio de 2015. Resultados: Dos 211 prontuários analisados de pacientes internados na UTI no período de janeiro de 2015 a julho de 2015, 10 pacientes (10,30%) desenvolveram infecções hospitalares durante a internação. Setenta porcento destes pacientes evoluíram para óbito. Quanto à faixa etária, foi possível observar maior frequência em indivíduos entre 40 a 59 anos (cinco pacientes – 50%), seguida por indivíduos com faixa etária de 60 a 79 anos (dois pacientes – 20%). Quanto ao sexo foi possível observar maior frequência entre homens (oito – 80%) que mulheres (duas – 20%). Conclusão: A partir da análise dos prontuários dos pacientes internados na UTI no HELGJ durante o período analisado observou-se uma baixa frequência de infecção hospitalar com predomínio em homens com idade superior a 40 anos. Entretanto, 70% dos pacientes diagnosticados com infecção hospitalar evoluíram com desfecho para óbito no período analisado.

Biografia do Autor

Helena Torres Passos

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Valença (UNIFAA)

Karina Mourão Costa

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Valença (UNIFAA)

Juliana Brovini Leite

Farmacêutica bioquímica, Mestre em ciências da saúde, Doutora em saúde. Instituto Brasileiro de Saúde Euclides Leite (IBSEL)

Yuri Carvalho Lyra

Biomédico, Mestre em Ciências Biomédicas. IBSEL

Publicado
2020-10-02
Como Citar
PASSOS, Helena Torres et al. FREQUÊNCIA DAS INFECÇÕES HOSPITALARES EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NO HOSPITAL ESCOLA LUIZ GIOSEFFI JANNUZZI. Revista Saber Digital, [S.l.], v. 13, n. 1, p. 137-147, out. 2020. ISSN 1982-8373. Disponível em: <http://revistas.faa.edu.br/index.php/SaberDigital/article/view/866>. Acesso em: 27 out. 2020.
Seção
Medicina