Sucesso na abordagem terapêutica do pseudocisto da glândula de Bartholin com marsupialização: estudo de coorte retrospectivo

  • Yara Lúcia Mendes Furtado de Melo Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • João Alfredo Seixas Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Alberto Freaza Lobão Bastos Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Bruna Coelho Lacerda Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Júlio Nunes Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Gutemberg Leão de Almeida Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Mariana Quintela Rodrigues Pereira Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Amanda Damian Marques Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Resumo

Objetivos: analisar o resultado da abordagem terapêutica do pseudocisto da glândula de Bartholin (PB) com marsupialização, além de avaliar a história pregressa dessas mulheres. Materiais e Métodos: estudo de coorte baseado na análise de prontuários de mulheres com diagnóstico de PB atendidas no ambulatório de patologia vulvar no Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IG-UFRJ), entre janeiro de 2000 a dezembro de 2016. Analisou-se as seguintes variáveis: marsupialização uni ou bilateral, complicações associadas ao procedimento, taxa de recidiva e tempo decorrido entre o intervenção e a recidiva, seguimento, idade, história prévia de PB ou abscessos de Bartholin (AB) e infecções sexualmente transmissíveis. A análise estatística foi descritiva, usando o software Statistic Package for the Social Sciences (SPSS), versão 23. Resultados: foram atendidas 244 mulheres com PB. Dentre essas, 140 mulheres com 150 PB no total foram incluídas. Recidiva ocorreu em 7,33% (11/150). Não houve intercorrências intraoperatórias e a taxa de complicações pós-operatórias foi de 4,67% (7/150). Das 244 mulheres selecionadas, 90,98% (22/244) tinham menos de 50 anos de idade, 78,69% (192/244) relataram PB ou AB prévios, 41% (100/244) referiram pelo menos uma drenagem anterior. Conclusão: observou-se sucesso na abordagem terapêutica na maioria dos procedimentos. A maior prevalência foi em mulheres com idade inferior a 50 anos e com história prévia de PB ou AB.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ).

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ).

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ)

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ)

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ)

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ)

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ)

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ)

Referências

ANOZIE, O. B. et al. Incidence, Presentation and Management of Bartholin’s Gland Cysts/Abscesses: A Four-Year Review in Federal Teaching Hospital, Abakaliki, South-East Nigeria. Open Journal of Obstetrics and Gynecology, v. 06, n. 05, p. 299–305, 2016.
DOWNS, M. C.; RANDALL, H. W. The ambulatory surgical management of bartholin duct cysts. The Journal of Emergency Medicine, v. 7, n. 6, p. 623–626, 1989.
FIGUEIREDO, A. C. N. et al. Bartholin’s gland cysts: management with carbon-dioxide laser vaporization. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 34, n. 12, p. 550–554, 2012.
FREGA, A. et al. Complication and recurrence rate in laser CO2 versus traditional surgery in the treatment of Bartholin’s gland cyst. Archives of Gynecology and Obstetrics, v. 294, n. 2, p. 303–309, 2016.
JACOBSON, P. Marsupialization of vulvovaginal (Bartholin) cysts. American Journal of Obstetrics and Gynecology, v. 79, n. 1, p. 73–78, 1960.
KROESE, J. et al. Word catheter and marsupialisation in women with a cyst or abscess of the Bartholin gland (WoMan-trial): a randomised clinical trial. BJOG: An International Journal of Obstetrics & Gynaecology, v. 124, n. 2, p. 243–249, 2017.
KUSHNIR, V. A.; MOSQUERA, C. Novel Technique for Management of Bartholin Gland Cysts and Abscesses. The Journal of Emergency Medicine, v. 36, n. 4, p. 388–390, 2009.
LEE, M. Y. et al. Clinical Pathology of Bartholin’s Glands: A Review of the Literature. Current Urology, v. 8, n. 1, p. 22–25, 2015.
MARZANO, D. A.; HAEFNER, H. K. The Bartholin Gland Cyst: Past, Present, and Future: Journal of Lower Genital Tract Disease, v. 8, n. 3, p. 195–204, 2004.
OLIPHANT, M. M.; ANDERSON, G. V. Management of Bartholinduct cysts and abscesses. Obstetrics and Gynecology, v. 16, p. 476–478, 1960.
OMOLE, F.; SIMMONS, B. J.; HACKER, Y. Management of Bartholin’s duct cyst and gland abscess. American Family Physician, v. 68, n. 1, p. 135–140, 2003.
PEDRO, A. O. et al. Idade de ocorrência da menopausa natural em mulheres brasileiras: resultados de um inquérito populacional domiciliar. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 1, p. 07–25, 2003.
PUNDIR, J.; AULD, B. J. A review of the management of diseases of the Bartholin’s gland. Journal of Obstetrics and Gynaecology, v. 28, n. 2, p. 161–165, 2008.
SILMAN, C. et al. Asymptomatic Bartholin Cyst: Evaluation With Multidetector Row Computed Tomography. Journal of Computer Assisted Tomography, v. 42, n. 1, p. 162–166, 2018.
WECHTER, M. E. et al. Management of Bartholin Duct Cysts and Abscesses: A Systematic Review. Obstetrical & Gynecological Survey, v. 64, n. 6, p. 395–404, 2009.
YUK, J.-S. et al. Incidence of Bartholin duct cysts and abscesses in the Republic of Korea. International Journal of Gynecology & Obstetrics, v. 122, n. 1, p. 62–64, 2013.
Publicado
2021-08-21
Como Citar
MELO, Yara Lúcia Mendes Furtado de et al. Sucesso na abordagem terapêutica do pseudocisto da glândula de Bartholin com marsupialização: estudo de coorte retrospectivo. Revista Saber Digital, [S.l.], v. 14, n. 2, p. 41-55, ago. 2021. ISSN 1982-8373. Disponível em: <https://revistas.faa.edu.br/index.php/SaberDigital/article/view/1134>. Acesso em: 28 set. 2021. doi: https://doi.org/10.24859/SaberDigital.2021v14n2.1134.
Seção
Medicina