Reconstruir-se com HIV: práticas de promoção da qualidade de vida reveladas pelas pesquisas

Autores

  • Renata Lacerda Marques Stefaisk Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Denize Cristina de Oliveira Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Yndira Yta Machado Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Juliana Pereira Domingues Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Michel dos Santos Casado de Lima Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Henrique Francisco de Sena Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Suzana da Silva Castro Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Thelma Spindola Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

DOI:

https://doi.org/10.24859/SaberDigital.2022v15n3.1347

Palavras-chave:

HIV, AIDS, QUALIDADE DE VIDA

Resumo

Objetivo: identificar na literatura as práticas de promoção da qualidade de vida efetivadas por pessoas que vivem com HIV. Materiais e método: Foi realizada uma revisão sistemática de literatura. Foram consultadas as bases de dados LILACS, BDENF e MEDLINE e incluídos artigos produzidos entre 2010 e 2020. Foram analisados nove estudos quanto a variáveis específicas e aos seus resultados em termos de práticas de promoção da qualidade de vida. Resultados: Foram construídas cinco categorias: 1. Movimento de ressignificação de si e da vida: mudanças na autoimagem e na percepção de mundo; 2. Práticas relacionadas ao serviço de saúde que influenciam a qualidade de vida; 3. Incorporação de hábitos de vida mais saudáveis; 4. Manutenção de atividades cotidianas; 5. Práticas sociais que influenciam a qualidade de vida. Discussão: As principais práticas realizadas pelo grupo incluem a manutenção de atividades da vida cotidiana associadas à incorporação de hábitos de vida mais saudáveis, destacando-se aquelas relacionadas ao serviço de saúde, como a adesão ao tratamento e uso da terapia antirretroviral, e as práticas sociais que envolvem suporte social. Conclusão: O movimento de reconstrução pessoal e social permite a realização de práticas de promoção da qualidade de vida por parte desse grupo, que são pautadas no acesso aos serviços de saúde e ao trabalho, nos hábitos de vida saudáveis e nas relações interpessoais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAUJO, G.M. et al. Idosos cuidando de si após o diagnóstico da síndrome da imunodeficiência adquirida. Rev bras. enfer, v.71, n 2, p.793-800, 2018.

ARAÚJO, K.M.S.T. et al. Avaliação da qualidade de vida de pessoas idosas com HIV assistidos em serviços de referência. Cien Saude Colet, v.25, n.6, p.2009-26, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232020256.20512018

BEZERRA, E.O. et al. Análise estrutural das representações sociais sobre a aids entre pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana. texto contexto – enfer, v.27, n.2, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-070720180006200015

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de vigilância, prevenção e controle das IST, do HIV/aids e das hepatites virais. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para manejo da infecção pelo HIV em adultos. Brasília, DF, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de DST-AIDS. A epidemia da AIDS através do tempo. [Internet]. Brasília, DF, 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Boletim Epidemiológico – AIDS. Brasília: MS; 2019.

CATUNDA, C; SEIDL, E.M.F; LEMÉTAYER, F. Qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/aids: efeitos da percepção da doença e de estratégias de enfrentamento. Psic.: Teor. e Pesq., v.32, n. esp, p.1.-7, 2016 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-3772e32ne218

CARDONA-ARIAS J.A. Representaciones sociales de calidad de vida relacionada com la salud em personas com VIH/SIDA. Rev. salud pública, v.12, n. 5, p.765.-776, 2010.

CARVALHO, M.V.F.; SILVA, A. R. S.; TAMINATO, M.; BERTOLOZZI, M. R. A coinfecção tuberculose/HIV com enfoque no cuidado e na qualidade de vida. Acta Paul Enfem, v. 35, n. esp., 2022. DOI: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2022AO02811

Carvalho, P.P. et al. Fatores associados à adesão à Terapia Antirretroviral em adultos: revisão integrativa de literatura. Cien Saude Colet, v.24, n.7, p. 2543-2555, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018247.22312017

Costa, M.A.R. et al. Qualidade de vida sob a ótica de portadores de HIV/AIDS: perspectivas futuras nas práticas educativas. Rev Fund Care online, v.11, n.5, p.1326-1332, 2019. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i5.1326-1332

Costa, T.L.; Oliveira, D.C.; Formozo, G.A.; Qualidade de vida e AIDS sob a ótica de pessoas vivendo com o agravo: contribuição preliminar da abordagem estrutural das representações sociais. Cad. Saúde Pública, v.31, n.2, p.365-376, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00180613

CUNHA, G.H. et al. Qualidade de vida de homens com AIDS e o modelo da determinação social da saúde. Rev. latinoam. Enferm, v.23, n.2, p.183-191, 2015.

DOMINGUES, J.P.;OLIVEIRA, D.C.; MARQUES, S.C. Representações sociais da qualidade de vida de pessoas que vivem com hiv/aids. Texto & Contexto enferm, v.2, n.27, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-070720180001460017

GALVÃO, T.F.; PANSANI, T.S.A.; HARRAD, D. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e metaanálises: a recomendação PRISMA. Epidemiol. Serv. Saude, v.24, n.2, p.335-342, 2015. DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4º Edição. Rio de Janeiro: LTC; 2017.

GOMES, A.M.T. et al. A religiosidade para pessoas vivendo com HIV/Aids: um estudo de representações sociais. Enfermagem Brasil, v. 18, n.6, 2019. DOI: https://doi.org/10.33233/eb.v18i6.2898

KARKASHADZE, E.; GATES, M.A.; CHKHARTISHVILI, N. Assessment of quality of life in people living with HIV in Georgia. Int J STD AIDS, v. 28, n.7, p.672-678, 2017. DOI: https://doi.org/10.1177/0956462416662379

KIRAGGA, A.N. et al. A decade of antirretroviral therapy in Uganda: what are the emerging causes of death? BMC Infectious Diseases, v. 19, n.1, 2019. DOI: https://doi.org/10.1186/s12879-019-3724-x

LOBO, A.L.S.F. Representações sociais de mulheres frente a descoberta do diagnóstico de HIV. Rev. Fund. Care, v. 10, n.2, p.334-342, 2018 DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.334-342

MEIRELLLES, B.H.S. et al. Percepções da qualidade de vida de pessoas com HIV/aids. Rev. Rene, v. 11, n.3, p. 68-76, 2010.

OLIVEIRA, F.B.M. et al. Qualidade de vida e fatores associados em pessoas vivendo com HIV/AIDS. Acta Paulista de Enfermagem, v. 28, n.6, p. 335-42, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-0194201500086

SILVA, L.M.S.; MOURA, M.A.V.; PEREIRA, M.L.D. Cotidiano das mulheres após contagio pelo HIV/aids: subsídios norteadores da assistência de enfermagem. Texto Contexto Enfer, v. 22, n.2, p. 335-42, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072013000200009

SILVA, R.T.S. et al. Estratégias de enfrentamento utilizadas por pessoas vivendo com aids frente à situação da doença. Rev. latinoam. Enferm, v. 26, n.esp, 2018.

TREEJAN, K. et al. Self-health care behaviors and knowledge of youth living with HIV. J Am Pharm Assoc. p. 1-11, 2022.

the WHOQOL group. The development of the world health Organization quality of life assessment instrument (the WHOQOL) In: Orley J, Kuyken W, editors. Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: SPRINGER VERLAG; 1994; p. 41-60. DOI: https://doi.org/10.1007/978-3-642-79123-9_4

VELAME, K.T.; SILVA, R.S.; JUNIOR, C.C. Factors related to adherence to antiretroviral treatment in a specialized care facility. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 66, n.3, p. 290-295, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9282.66.3.290

Downloads

Publicado

2022-09-06

Como Citar

Lacerda Marques Stefaisk, R., Cristina de Oliveira, D. ., Yta Machado, Y., Pereira Domingues, J., dos Santos Casado de Lima, M. ., Francisco de Sena, H., da Silva Castro , S., & Spindola, T. (2022). Reconstruir-se com HIV: práticas de promoção da qualidade de vida reveladas pelas pesquisas. Revista Saber Digital, 15(3), 20221515. https://doi.org/10.24859/SaberDigital.2022v15n3.1347

Edição

Seção

Enfermagem